Final de ano movimenta mercado de trabalho no setor de alimentação em Ribeirão Preto, SP

As confraternizações de empresas deixam a agenda cheia e os restaurantes e padarias aumentam as contratações. Demanda cresce até 30% nos estabelecimentos.
Para atender a demanda de final de ano, restaurantes, churrascarias e padarias abrem vagas temporárias de trabalho. Empresários de Ribeirão Preto (SP) estimam crescimento de até 30% no movimento nos setores de alimentação entre novembro e dezembro.
No restaurante onde Gilson Alves Rodrigues é subgerente foi necessário contratar, pelo menos, 13 funcionários temporários, para melhorar o condicionamento do estabelecimento.
“A demanda de clientes aumenta muito, pois acontecem festas de confraternizações, e precisamos estar preparados para servi-los bem. Por isso, foi preciso contratar mais empregados, sendo que, oito serão efetivados após o período de fim de ano”, afirma Rodrigues.
A tendência é que o movimento aumente cada vez mais em Ribeirão Preto. Em outro comércio de alimentação, seis vagas foram abertas e o gerente teve que mudar a rotina de atendimento.
“Às segundas-feiras nós não abríamos. Era folga coletiva para todos os trabalhadores, mas com a alta demanda de produtividade e clientes, começamos a funcionar também neste dia. Avaliamos um aumento de até 30% no movimento, principalmente, em dezembro”, conta Claudinei da Silva, gerente.
Otimismo
O otimismo da época de natal movimenta também as padarias. Segundo o Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão-de-Obra e de Trabalho Temporário no Estado de São Paulo (SINDEPRESTEM), o setor deve contratar, de 7% a 10%, mais funcionários temporários, do que em dezembro do ano passado.
Na padaria do Joaquim Antônio de Araújo, ao todo, são 65 funcionários que fazem parte do quadro de colaboração. O funcionário mais novo que foi contratado tem 15 anos de experiência como salgadeiro, mas por causa da crise financeira, estava trabalhando como motorista de aplicativo. Ele conseguiu, recentemente, o emprego na panificadora com carteira assinada e já planeja planos.
“Estamos saindo de uma crise, que estava difícil para todos. O serviço chegou a uma boa hora, pois eu moro com os meus pais. Depois da contratação, comecei a construir a minha própria casa. Todo esforço e tempo valem a pena”, relata Fabricio da Silva Pereira, salgadeiro.
O que foi bom para o funcionário é sinal de boas vendas para o proprietário. A previsão é vender mais em 2019 e, por isso, o comerciante precisou empregar mais pessoas neste semestre. “Eu acho que as pessoas estão um pouco mais otimistas, e com a expectativa do Natal, que é a festa mais comemorada, conseguimos gerar aumento de produtividade e de venda. Por isso, precisamos aumentar o número de funcionários”, comenta Araújo.

Fonte: G1