Denúncias contra empregadores crescem 17% no 1º quadrimestre em Ribeirão Preto, diz MPT

Dos 303 registros de supostas irregularidades, 127 foram feitos em março e abril. Segundo procurador do Trabalho, ocorrências estão ligadas à pandemia do novo coronavírus.
Dados do Ministério Público do Trabalho (MPT) apontam que, de janeiro a abril deste ano, houve um aumento de 17% nas denúncias contra empregadores em Ribeirão Preto (SP). Segundo o órgão, em relação ao mesmo período de 2019, o número passou de 258 para 303. Do total, 127 foram feitas em março e abril, meses impactados pela pandemia do novo coronavírus.
“Quase metade delas cita como irregularidade cometida na redução de salário sem contrapartida, o que quer dizer sem redução de horas trabalhadas, por exemplo, a demissão em massa e a falta de acerto pelo fim do contrato de trabalho”, afirma o procurador do Trabalho Elisson Miessa.
Em abril, um garçom, que prefere não se identificar, foi demitido de um restaurante. Segundo ele, o patrão não deu nenhuma informação sobre quando o acerto seria feito. O homem reconhece a dificuldade geral causada pela pandemia, mas afirma que faltou bom senso.
“Estamos sem salário desde abril. Eu e meus companheiros estamos passando dificuldades. Como patrão, ele deveria conversar com os funcionários. Ele não teve a boa vontade”, afirma.

Veja matéria completa: https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2020/05/18/denuncias-contra-empregadores-crescem-17percent-no-1o-quadrimestre-em-ribeirao-preto-diz-mpt.ghtml